Av. Eduardo Sá, 50, Eusébio – CE – 61760-000 | 85 3560-1158 | 85 3260-1258

Forró 100 Preconceito receberá comenda Eusébio de Queiroz

  • 10 de novembro de 2015
IMG_4194

Foi aprovado, durante a 21ª Sessão Ordinária da 3ª Sessão Legislativa da 7ª Legislatura, na segunda-feira (9), o requerimento 135/2015 de outorga da Comenda Eusébio de Queiroz aos componentes da Banda Forró 100 Preconceito. O requerimento, de autoria da vereadora Neila Martins de Castro Sá, recebeu dois votos contra: um do vereador Nonato Xilito e outro da vereadora Vanda Morais.

Em sua justificativa, Nonato Xilito disse que não vota contra a banda e nem seus integrantes, mas sim contra a banalização da comenda Eusébio de Queiroz, considerada a mais alta do município. “Eu voto de acordo com o valor que a comenda tem. A homenagem está ficando aleatória, sem critérios e isso não é bom, pois acaba desvalorizando a homenagem”, explicou.

A vereadora Neila Martins defendeu que a comenda à banda é mais que merecida. “Essa banda já está há mais de 12 anos no Eusébio. É por pessoas comuns, funcionários e pacientes do Centro de Atenção Psicossocial (CAPs-Geral). Eles batalharam muito para formar esta banda, além disso prestam serviço à cidade. Em todos os eventos estão fazendo a festa.  São pessoas que não estudaram para ser cantores, mas fazem o trabalho com perseverança”, falou Neila.

O vereador Tarcísio da Cultura também defendeu o requerimento de outorga afirmando que “A comenda Eusébio de Queiroz é uma homenagem para pessoas que tem um histórico de superação própria, à exemplo do próprio Eusébio de Queiroz, que lutou pela liberdade e pela quebra do preconceito das pessoas com os escravos. Trazendo para a discussão, a banda se chama ‘Forró 100 Preconceito’ e tem histórias de superação. Ela é formada por pessoas que têm dificuldades e através do trabalho de profissionais do Caps, eles conseguiram superar. Se a comenda não for honrosa para pessoas que conseguiram resistir aos preconceitos de uma sociedade ainda retrograda, será que eles não são merecedores e dignos da comenda?”, salientou Tarcísio da Cultura.