Av. Eduardo Sá, 50, Eusébio – CE – 61760-000 | 85 3560-1158 | 85 3260-1258

Tarcísio da Cultura quer oficializar funcionamento das bandas e do coral municipal

  • 14 de março de 2017
IMG_9355

O vereador Tarcísio da Cultura (PEN) apresentou quatro projetos de indicação voltados para a área de Cultura do município. O parlamentar observa que as matérias têm o intuito de oficializar algumas atividades inerentes a Secretaria de Cultura e Turismo do município, com o objetivo de melhor atender aos cidadãos que buscam os serviços oferecidos por aquela pasta municipal.

O projeto 07/2017, por exemplo, dispõe sobre a criação da banda Sinfônica Oficial de Eusébio. Pelo projeto, a banda tem finalidade de realizar concertos dentro e fora do município; manter intercâmbio cultural com grupos musicais de outros municípios; prestar assistência técnico-artística a outros grupos musicais sediados no município; participar ativamente dos objetivos culturais do município e manter uma escolinha para novos músicos.

A Banda terá como sede administrativa na Secretaria Municipal de Cultura e Turismo,que ficará responsável por providenciar local fixo e adequado para ensaios e prover o transporte do grupo quando houver concertos. A matéria determina ainda que o Núcleo de Música da Secult, elaborará seu regimento interno. Os componentes da Banda Sinfônica, conforme a matéria, serão contratados ou comissionados pela Prefeitura Municipal de Eusébio, conforme vagas disponíveis.

Já através do projeto 08/2017, o parlamentar quer criar o Coral Oficial de Eusébio, que terá como funções divulgar o nome do município e difundir o canto polifônico. Os integrantes do coral passarão por teste de seleção.

O projeto de indicação 09/2017, por sua vez, cria a Banda de Musica Oficial do Eusébio que funcionará nos mesmos termos da Banda Sinfônica, com seu regimento a ser elaborado pelo Núcleo de Artes, Educação e Cultura. Por fim, o projeto 10/2017 cria a Banda Marcial Marta Cordeiro. Criada em 2007, a Banda tem vários títulos estaduais, e pódios em competições nacionais. Apesar de todos esses organismos já existirem no âmbito da Secult, o vereador observa que não existe leis específicas e legais sobre a criação e funcionamento dos mesmos.